Vertentes do Budismo (Honmon Butsuryu-Shu / Nitiren / Teravada / Terra Pura / Budismo Tibetano)

O Budismo é uma das principais linhas filosóficas seguidas no mundo, pode ser entendida também como uma religião. Para quem não conhece essa filosofia abrange uma série de crenças e tradições que são essenciais para que se sigam os ensinamentos de Buda. Dentro do Budismo existem algumas escolas que oferecem novas visões a respeito dessa linha filosófica.

Exatamente por contar com subdivisões como Honmon Butsuryu-Shu, Nitiren, Teravada, Terra Pura e Budismo tibetano que essa crença conta com cerca de 500 milhões de seguidores em todo o planeta. Para entender um pouco mais a fundo esse conjunto de crenças a dica é conhecer mais sobre as diferentes escolas. Confira abaixo uma reunião de explicações a respeito de cada uma.

Honmon Butsuryu-Shu – Budismo Primordial

A vertente do Budismo conhecida como Honmon Butsuryu-Shu é conhecida em nosso país como Budismo Primordial. A tradução desse nome do japonês significa Religião Budista do Caminho Primordial do Sutra do Lótus. A fundação dessa vertente se deu no ano de 1857 pelo Grande Mestre Nissen Shounin que era mais conhecido como Kaidou Shounin.

A característica principal dessa vertente do Budismo é fazer a entoação do Odaimoku (Namumyouhourenguekyou) que está dentro dos primeiros oito capítulos do caminho primordial. Para quem segue essa vertente existe a crença de que o caminho que seria o primordial está entre o conteúdo do 15° ao 22° capítulos do Sutra Lótus. Nessa parte está bem clara a compaixão praticada por Buda.

Buda – Divindade Única

Para quem segue essa vertente Buda é uma divindade sem começou ou fim sendo então a única divindade responsável por cuidar dos caminhos do cosmos. Para essa ramificação do Budismo, Buda usou a pessoa de Siddhartha Gautama para que pudesse fazer a transmissão de tudo o que acreditava para a humanidade. A manifestação humana de Buda foi necessária para que pudesse ensinar aos humanos. 

Nitiren – Escolas com Diferentes Doutrinas

Para entender a vertente do budismo japonês chamada de Nitiren é essencial conhecer um pouco da história de Nichiren Shōnin que foi o seu fundador. Esse monge japonês que viveu durante o século XIII foi o responsável pelo desenvolvimento desse segmento do budismo que até os dias de hoje conta com muitos adeptos.

Dentro do budismo Nitiren estão contidas inúmeras escolas com diversas interpretações a respeito do que foi transmitido por Buda. Um dos pontos essenciais em que essas escolas divergem é em relação a posição única ou não de Buda como o grande e principal mestre/divindade. Basicamente a forma como se entende e segue o conhecimento oferecido por Buda.

Nitiren e a Produção de Conteúdo

Um dos destaques a respeito do monge Nitiren foi a sua produção de conteúdo com destaque para as suas obras como cartas, cartas de advertência, ilustrações entre outros que tinham como objetivo guiar aqueles que desejam pelo caminho de Buda e seus ensinamentos. Boa parte das cartas que Nitiren redigiu com a linguagem do japonês clássico ou chinês clássico tinha a forma vernacular como base de maneira a se estabelecer como uma transmissão de conhecimento. 

Teravada – Ensino dos Sábios

O nome Teravada tem sua origem no sânscrito e significa “ensino dos sábios”, por ser uma das vertentes mais conservadoras do budismo pode ser entendida como a que está mais perto dos ideais do início dessa linha filosófica. Sua fundação aconteceu na Índia e durante muito tempo se configurou como sendo a religião dominante do sudeste da Ásia.

Essa vertente budista tem uma quantidade significativa de adeptos em países como China, Vietnã, Indonésia e Malásia. Faz algum tempo que vem conquistando terreno também em Singapura. Para se ter uma ideia do seu alcance pesquisas dão conta de que existem mais de 100 milhões de budistas Teravadas no mundo. Uma escola budista que tem muitos adeptos no Ocidente.

Teravada e o Ensino de Análise

Uma das bases da vertente do budismo Teravada é o Vibhajjavada (Pāli) que significa de maneira literal “ensino de análise”. Basicamente nessa linha de budismo é sugerido que as pessoas aprendam a partir das suas experiências. É recomendado que não haja uma fé cega em nenhum tipo de divindade e sim a observação de como as coisas se dão de maneira a encontrar um caminho satisfatório. 

Terra Pura – Devoção ao Buda da Luz

Uma das características principais dessa vertente do budismo conhecida como Terra Pura é o preceito da devoção ao Buda da Luz chamado de Amitaba. Devido a isso essa vertente também pode ser conhecida como amidismo. Para quem não conhecer Amitaba é um dos cinco budas da meditação.

Na família de Lótus esse é o principal Buda, sua cor é vermelha e se trata do Buda da direção Oeste. Um buda que tem em si o significado da sabedoria dos Budas. Os seguidores da vertente Terra Pura tem como objetivo central alcançar a iluminação ou renascer. Uma das escolas mais devocionais dentro do budismo algo que a destaca das demais.

Terra Pura e Suas Subdivisões

Assim como boa parte das escolas do budismo, a Terra Pura, passou por subdivisões também no Brasil. Em nosso país a escola desse movimento que se tornou mais conhecida é a Escola Terra Pura. As escolas desse movimento integram o veículo ou o movimento Mahayana. 

Budismo Tibetano – Budismo Vajrayana / Lamaísmo

A vertente do Budismo Tibetano pode ser chamado também de Lamaísmo ou Budismo Vajrayana. Uma das principais características dessa vertente é o fato de realizar uma série de rituais elaborados incluindo a realização da complexa leitura dos Saddhanas que são textos litúrgicos. Também incluem o uso de instrumentos musicais entre outros.

Um dos pontos mais interessantes a respeito do budismo Tibetano é a sua forte ligação com a arte contando com uma série de pinturas e esculturas que fazem parte da tradição dos rituais. Também existe um foco interessante na relação desenvolvida entre os alunos e os mestres que são chamados de lamas, daí vem a outra denominação Lamaísmo.

Budismo Tibetano e os Lamas

A palavra Lama tem sua origem no idioma tibetano e significa “mestre” e de forma geral podemos dizer que se refere aos monges tibetanos. Quanto mais superior hierarquicamente maior é o direito do monge ser chamado de lama. 

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Religiões

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.