Religião na Índia

A Religião é um dos assuntos que mais são polemizados no mundo atualmente. Isso porque existem várias delas no mundo (cerca de três mil religiões, entre seitas e doutrinas), e cada uma tem a sua particularidade e a sua essência. Prova disso são as disputas entre povos de religiões diferentes, que até mesmo guerreiam entre si para impor as suas doutrinas religiosas.

Um dos países mais religiosos do mundo está localizado no Oriente, mais precisamente, na Ásia Meridional. É um dos países mais populosos do mundo, com uma população estimada em um bilhão e 200 milhões de habitantes (aproximadamente 17% da população mundial).

Na Índia, há uma gama de religiões que podem ser seguidas, tanto é que o país é conhecido por sua fé em deuses que remetem a algo específico. Nesse artigo, você vai conhecer um pouco mais sobre a religião indiana, que é bastante tradicionalista, e suas doutrinas.

A Religião na Índia

Como você já leu neste artigo, por conta de a Índia ser densamente povoada, o número de religiões que existem no país é incalculável, mas, assim como no mundo há o cristianismo, religião esta que tem a fatia de 2,2 bilhões de fiéis no mundo (31% da população mundial), na Índia, a religião predominante é o Hinduísmo, que abocanha a fatia de 80% da população.

Podemos perceber que a atuação cristã nesse país é pífia, pois tem apenas uma pequena fatia da população (cerca de 4% é adepta de alguma vertente cristã: católica, protestante ou ortodoxa, sendo a protestante a mais predominante entre esses três). O islamismo é a segunda religião mais seguida na Índia, cravando 11% da população. 

Hinduísmo – A Sua Origem

O Hinduísmo tem sua história remontada desde os milênios antes do nascimento de Cristo – mais precisamente, no ano de 1500 a.C.- e foi uma religião introduzida, ou seja, não era natural do território indiano. Os arianos, invasores que se auto declaravam superiores às demais raças, que a colocaram em execução quando invadiram e tomaram posse da Índia.

O sistema da religião baseia-se na divisão de classes, onde, segundo os Vedas, a cabeça do deus primordial a qual eles tinham devoção, fazia parte os brâmanes (ou seja, os nobres, ou a casta social que era dominante sobre as outras); Já nos braços dele, os guerreiros tinham a sua origem. Passando para as pernas, quem era advindo daquela parte deveriam ser produtores (de alimentos e outros itens necessários para a sobrevivência). E, os pés, eram as origens dos servos e os não arianos, que eram considerados não homens. Dessa forma, o sistema de classes dos arianos perdurou por muito tempo, já que diziam que essa divisão era resultado de uma ação divina, a qual não se poderia questionar, apenas seguir. 

Hoje, o sistema de castas não é tão presente no cotidiano dos indianos, mas ainda há alguns locais onde essas tradições existem. Isso foi retratado no Brasil através da novela Caminho das Índias, que foi gravada pela Rede Globo no ano de 2009 (sendo reapresentada pelo Vale a Pena Ver de Novo no ano de 2015), onde retrata o cotidiano de famílias que pertencem às castas mais abastadas (os brâmanes, onde sempre eram prósperos comerciantes, que sempre queriam mais e mais rúpias, que é a moeda indiana) e também os servos (que eram chamados de dalits, ou os intocáveis, que o restante da sociedade acreditava serem impuros). A novela também nos mostra os ricos costumes indianos, onde as mulheres eram totalmente submissas aos maridos, se vestiam com ricos tecidos de seda e joias. Dizem que a maior concentração de ouro no mundo está na Índia, por conta das valiosas joias que muitas mulheres do país usam.

Voltando a falar da religião Hindu, com o passar dos anos, o Hinduísmo original passou a ter variadas ramificações, incorporando seitas diversas, mas com os propósitos e objetivos da religião Hindu. Nesta crença existem vários Deuses, ou seja, é uma religião politeísta. A seguir, você vai conhecer alguns deles. 

Ganesha: O primeiro deus hindu da nossa lista é representando como um humano-elefante, isso por conta de sua cabeça, que é do animal, e o seu corpo, que é de um humano. É o deus da sorte e da sabedoria, bastante reverenciado pelos indianos. Seus quatro braços, que também são representados nas imagens, são responsáveis por quebrar e retirar as pedras do caminho, ou seja, ajudam os indianos a vencer os obstáculos postos em sua vida.

Lakshimi: Deusa de grande reverência, tem como indulgência a riqueza e a fortuna. Ela também é a deusa da fertilidade, saúde e da alimentação saudável.

Krishina: Deusa da justiça, ela tem o poder de restabelecer a ordem, sendo justa com quem é merecedor e punindo o lado malvado da história.

Shiva: Assim como a deusa Lakshimi, Shiva é um deus da fertilidade, ajudando as mulheres, aflitas para terem um filho, a engravidar. Sendo assim, ele também é o deus da boa saúde da boa alimentação também. 

O Sistema de Castas Hoje

Como dito anteriormente, o sistema de castas está presente na Índia deste os tempos remotos ao surgimento do Hinduísmo, hoje é banido segundo as leis indianas, mas, na prática, prevalece a tradição e os costumes. Muitas pessoas ainda são consideradas impuras pela sociedade indiana por conta de sua casta social. Mesmo que essa pessoa seja bem sucedida, o peso de sua origem é muito grande.

Voltando à Novela Caminho das Índias, podemos ver o caso de Bahuan, que foi interpretado pelo ator Márcio Garcia. Sendo um menino de casta baixa, um dalit, sempre sofreu discriminação por carregar esse fardo consigo, e, mesmo depois de se formar e se transformar em um homem de negócios, a sua origem pobre e intocável faz mais frente que o seu sucesso profissional, fato este que o faz mal visto na sociedade indiana. O fato de ele se relacionar amorosamente com Maya, interpretada pela atriz Juliana Paes, uma moça brâmane, é ainda mais ultrajante no ponto de vista da sociedade conservadora indiana da novela. 

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Curiosidades

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.