Santa Zita

Tendo reconhecidos mais de 150 milagres, Santa Zita, é a padroeira das empregadas domésticas e das serventes do lar. Era conhecida em vida como Zita de Lucca por ter nascido na vila italiana de Monsagrati perto de Lucca, na Toscana. Nascida em 1212 faleceu em 1272 tendo exercido a função de empregada do lar por quase toda sua vida.

O Início da Vida como Empregada do Lar

Na época em que Zita nasceu, as famílias pobres como era a sua, enviavam as filhas ainda jovens para servir como empregadas nas casas dos mais ricos. Com apenas 12 anos de idade Zita foi para a casa da poderosa família Fatinelli para a qual trabalhou durante 48 anos até que veio a falecer.

Esse era um tempo muito duro para as moças pobres, as famílias ricas aceitavam as jovens como empregadas sem lhes pagar salário, em troca de seus serviços eram dados abrigo, comida e vestimenta. Em alguns casos a família podia ‘presentear’ a moça com um dote para que pudesse se casar, mas isso não era obrigatório. Grande parte das jovens viviam num regime de quase escravidão durante a vida toda.

Rotina de Sofrimento e Humilhação

A família Fatinelli era conhecida em Lucca por não tratar os seus empregados com dignidade. Com Zita não foi diferente, a moça era maltratada tanto pelos patrões como pelos outros funcionários por ser de origem muito simples e não conhecer o universo de luxo em que foi inserida. Porém, mesmo em meio a todos os tipos de humilhações ela se mantinha forte em sua fé cristã.

Além de estar sempre que podia orando Zita não perdia uma Santa Missa e ajudava aqueles que eram menos favorecidos que ela. A abnegação de Zita era tanta que mesmo recebendo muito pouco em termos de roupas, comida e trocados ainda assim mantinha o hábito de fazer doações para as pessoas pobres que viviam próximo da casa dos Fatinelli.

O Reconhecimento dos Patrões

Depois de algum tempo convivendo com Zita os patrões perceberam que se tratava de uma moça cristã que demonstrava muita eficiência em seu trabalho sem jamais reclamar de sua sorte. Logo os Fatinelli lhe passaram a administração da casa e dos outros empregados que obviamente se encheram de ciúmes. Numa determinada ocasião uma das empregadas disse aos patrões que Zita distribuía comida da despensa da casa para os mendigos.

Sem ter como provar sua inocência Zita foi defendida por Deus, quando o patrão encontrou a santa percebeu que havia um grande volume em seu avental. O patrão então perguntou a Zita o que ela estava levando ao que a jovem respondeu sem hesitar ‘flores’. Foi então que o senhor Fatinelli lhe puxou o avental e aos seus pés caíram flores provando que ela era inocente do que seria uma falta muito grave.

Dedicação aos Menos Favorecidos Até Depois da Morte

Santa Zita viveu até os 70 anos sempre trabalhando para a família Fatinelli e em seu pouco tempo livre fazendo o bem para os menos favorecidos. Esse hábito se manteve até bem perto do seu falecimento quando já estava idosa e com alguma dificuldade de realizar suas tarefas. Mesmo após ter partido dessa vida Zita se manteve a favor dos mais pobres, bastava que eles orassem para que ela ajudasse.

Corpo Incorrupto de Santa Zita

Algo impressionante sobre Santa Zita é que em 1652 foi realizada uma exumação do seu corpo e se percebeu que ele se encontrava incorrupto, mais uma prova de sua santidade. O corpo de Santa Zita foi então mumificado e se mantém em exposição na Basílica de São Frediano em Lucca. Em 1696 foi canonizada pelo Papa Inocência XII e tornou-se a padroeira de Lucca. Algum tempo mais tarde o Papa Pio XII a proclamou padroeira dos empregados domésticos.


Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Santos

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.