Significado das Pedras do Sacerdote

Quando estava guiando o povo hebreu em meio ao deserto que os levaria a terra prometida, Deus, ordenou que os sacerdotes usassem uma placa em forma de vestimenta sobre a qual estariam doze pedras preciosas que tinham como objetivo representar as 12 tribos em que o povo escolhido por Ele estava dividido. Em cima de cada uma das pedras havia o nome de uma das tribos para que o sumo sacerdote jamais se esquecesse daqueles para quem se dedicava em suas atividades divinas.

A placa peitoral dos sacerdotes além das doze pedras com os doze nomes das tribos do povo hebreu possuía a inscrição das seguintes palavras: ‘Avraham, Yitschac, Yaacov, Shivtê Yeshurun’. Com isso a placa continha todas as letras do Alef-bet podendo ser usada por Deus como instrumento de comunicação com seu povo por meio da indicação de letras que formariam então palavras.

Nomes nas Placas

As placas peitorais dos sacerdotes possuíam ainda os nomes dos patriarcas para lembrar os grandes feitos desses antepassados. A distribuição das pedras em quatro colunas faz alusão também aos méritos das matriarcas do povo hebreu. Ter esse lembrete em seu peito fazia com que o sacerdote conseguisse ter expiação para resolver as demandas do seu povo de acordo com os desígnios de Deus.

O Corte das Pedras da Placa Peitoral

Além das doze pedras que representavam as tribos, a placa peitoral, continha ainda duas pedras em suas alças. Ao passar as instruções para a confecção dessas vestes Deus proibiu que as pedras preciosas fossem cortadas com instrumentos de metal, porém, exigiu que tivessem um determinado tamanho. As pedras deveriam receber a inscrição indicada sem que para isso lhes fosse extraída uma mínima lasca.

Para atender as exigências de Deus, Moisés, se lembrou que na véspera do primeiro Shabat dos seis dias de criação o senhor criou um inseto que possuía o tamanho de um grão de cevada e cuja habilidade de cortar pedras era fabulosa. O inseto que era chamado de Shamir foi utilizado para cortar as pedras, bastou que ele passasse por cima da linha demarcada pelo artesão e pronto, as pedras já tinham o tamanho ideal. As inscrições sobre as pedras foram feitas utilizando tinta. Quando houve a destruição do Templo Sagrado o shamir desapareceu.

Urim Vetumim

O ‘design’ da placa peitoral, por assim dizer, fazia com que ela fosse dobrada ao meio criando uma espécie de bolso em que Moisés adicionou um pergaminho no qual estava escrito o nome impronunciável de Deus e que era composto por setenta e duas letras. O nome era o que fazia com certas letras se acendessem na placa oferecendo respostas para as questões dos sacerdotes.

Vem daí a expressão Urim Vetumim em que Urim se refere as letras que se acendiam e Tunim a resposta concedida que era inalterável. Essa placa ficou conhecida como Chôshen Mishpat (sendo Mishpat ‘sentença), sempre que havia uma demanda que gerava dúvida entre o povo hebreu a placa era consultada para que através da iluminação de suas letras se obtivesse uma resposta assertiva. Também era chamada de ‘peitoral do juízo’, pois o sacerdote a utilizava quando precisava resolver assuntos judiciais referentes ao povo hebreu.

O Que Era Questionado a Pedra

É importante deixar claro que as pedras do sacerdote somente poderiam ser consultadas a respeito de assuntos que tivessem ligação com o rei, ao tribunal ou então a alguma demanda dos hebreus enquanto povo. Não era permitido que se realizassem consultas particulares as pedras como se elas fossem um oráculo.

A consulta acontecia sempre do mesmo modo, o questionador procurava o sumo sacerdote que então se voltava para a arca (onde pairava a divindade). Quem perguntava devia fazer o seu questionamento em voz baixa como quem ora e o sacerdote então observando as letras do Urum Vetumim realizava a combinação que dava origem a palavras. Esse instrumento foi utilizado pelo povo de Israel até a destruição do Templo Sagrado quando pararam de funcionar.

Aarão – O Primeiro Sumo Sacerdote

O irmão mais velho de Moisés, Aarão foi o escolhido como primeiro sumo sacerdote pelo fato de nunca ter se invejado de ser irmão mais novo ter sido o escolhido para ser o libertador do povo hebreu da escravidão no Egito. Deus permitiu que ele carregasse seu nome em seu peito em reconhecimento do seu bom caráter.

A Doze Pedras e as Doze Tribos Correspondentes

A seguir você confere quais eram as doze pedras preciosas da placa peitoral dos sacerdotes e a que povos correspondem:

Primeira Fila

  • Rubi – Tribo Reuven
  • Esmeralda – Tribo Shim’on
  • Topázio – Tribo Levi

Segunda Fileira

  • Carbúnculo – Tribo Yehudá
  • Safira – Tribo Yissachar
  • Diamante – Tribo Zevulun

Terceira Fileira

  • Jacinto – Tribo Dan
  • Ágata – Tribo Naftali
  • Ametista – Tribo Gad

Quarta Fileira

  • Crisólito – Tribo Asher
  • Onix – Tribo Yossef
  • Jaspe – Tribo Binyamin

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Curiosidades

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.