Ocultismo

A religião é um assunto que volta e meia causa polêmica no mundo. Isso porque, são várias doutrinas e seitas que se consideram religiosas (mais de três mil existentes e em atividade no planeta), sendo o Cristianismo a religião mais conhecida e seguida.

A enorme influência da religião católica não passa despercebida, isso porque ela concentra cerca de 30% da população mundial, algo em torno de 2,2 bilhões de pessoas. Todos esses fiéis estão divididos entre suas vertentes, das quais podemos destacar o catolicismo, o protestantismo e a Igreja Ortodoxa, sendo que a primeira vertente é a mais conhecida, por ser a primeira a existir.

O catolicismo foi, como já explicado anteriormente, a primeira vertente cristã a existir, e isso permaneceu até a idade média, quanto revoltas internas fizeram com que fundassem outras vertentes, como a protestante, fazendo com que os fiéis se dividissem entre as outras vertentes cristãs.

No entanto, religião não se baseia somente em sistemas baseados no monoteísmo ou politeísmo. Religiões também podem se converter a sistemas menos conhecidos, como o Ocultismo. Nesse artigo, você vai conhecer um pouco mais sobre essa seita, bem como algumas curiosidades acerca dela. Vamos lá?

A Definição de Ocultismo

O Ocultismo pode ser definido como uma prática “escondida”, com o objetivo de conhecer o paranormal, opondo-se, portanto, ao conhecimento do mensurável. Como parte de seu esconderijo, é sabido que o Ocultismo é destinado apenas àquelas pessoas que possuírem dons mágicos. No entanto, o principal objetivo deles é manter a seita à espreita, como uma sociedade secreta. Segundo as pessoas que fazem parte do ocultismo, a doutrina em nada mais se baseia do que apenas estudar fatos que estão presentes em uma realidade espiritual ainda mais profunda da que temos acesso. Tal realidade, de acordo com eles, se estende muito além dos limites impostos pelas ciências físicas e pela pura razão. 

O Ocultismo também dá nome a organizações e ordens que se pressupõe que sejam mágicas, onde estão presentes os ensinamentos a eles ministrados. Grande parte da literatura filosófica própria desse movimento também está presente em tais organizações.

Muitos dizem também que o Ocultismo nada mais é do que uma doutrina que tem por objetivo chegar até as profundezas que pudessem explicar toda a filosofia que deu origem às religiões como um todo, mesmo que, durante o caminho, surjam questionamentos que possam ajudar no estudo ou, até mesmo, confrontar algumas ideias já conhecidas.

Segundo os ocultistas e, também, algumas tradições monoteístas, isto é, tradições que cultuam uma só divindade, dizem que todas as religiões existentes no planeta tiveram uma inspiração em comum, e tal inspiração tinha origem no sobrenatural. Ou seja, com o estudo dessa fonte, poderia se chegar à religião original. Já vertentes ligadas ao panteísmo indicam que não existe somente um veio de inspiração, mas sim milhares, nas quais se explicariam a variedade de deuses nas quais as religiões que seguem os preceitos politeístas.  São exemplos de seitas politeístas que acreditam nessas vertentes inspiradoras o Xantoísmo e o Hinduísmo. 

Por mais incrível que possa parecer, o ocultismo não busca conhecer as origens dos fenômenos naturais, mas sim, as ordens desconhecidas que estão por trás de todos esses fenômenos.  Muitos ocultistas dizem ainda que o sobrenatural sequer existe. O que realmente existe são tais ordens que se assemelham e muito com as vertentes buscadas pelas ciências filosóficas.

Um ocultista, por diversas vezes, é confundido com um mago. E muitas pessoas acreditam que tais magos já sabiam, há muito das descobertas que a ciência promoveu ao longo dos milênios. Com isso, as descobertas científicas não passariam de meros achados para eles.

Para aquelas pessoas que estudam os princípios ocultistas, os símbolos e questionamentos que estão por vir serão sempre uma coisa que já estão acostumados a ver, sendo todos os acontecimentos comuns e compreensíveis. Uma curiosidade é que, o ocultismo tenha surgido com esse nome por conta da repressão religiosa que sofria, principalmente da Igreja Católica que, desde os primórdios, alcançou grande influência e vinha a condenar quaisquer práticas que considerava uma afronta à religião cristã e à Deus. 

Outros acreditam que a seita tem esse nome porque seus símbolos, geralmente, tinham nomes diferentes aos seus significados, funcionando como um código que seria desvendado somente por aqueles que já tinham sido iniciados na religião, ou seja, já tinham tido aulas introdutórias sobre o funcionamento da doutrina.

Origens do Ocultismo

As origens do Ocultismo ainda são uma incógnita, pois não há um lugar definido de onde possa ter surgido o movimento, pela primeira vez, de fato. Fontes indicam que os primeiros ocultistas vieram do Antigo Egito, onde os seus princípios estavam relacionados com os deuses Thot ou Hermes.

Já passando para a Idade Média, período que a Igreja Católica viveu o seu apogeu, o ocultismo começa a ganhar outra face com o surgimento da alquimia, sendo que o processo se caracterizava no manejo de metais que teriam propriedades mágicas relacionadas com a espiritualidade. 

Como a igreja Católica estava vivendo o seu auge naquela época, era quase que certo que a instituição fez uma marcação cerrada com os praticantes de tal seita. Inclusive, muitos foram condenados pela Inquisição, que era uma campanha promovida pela igreja a fim de condenar aqueles que ela consideravam infiéis à Deus. Aos praticantes de alquimia, a Igreja acusava-os de serem feiticeiros e de terem realizado um pacto com o demônio.

Apesar da constante ameaça da Igreja Católica, a alquimia se desenvolveu muito durante a Idade Média, assim como a cabala judaica, que era um movimento espiritual com bases no judaísmo.

O ocultismo só veio a renascer com mais força mais recentemente, já no século XIX, com novos pensadores que, com mais liberdade, agora da decadência da religião cristã, poderiam expor seus pensamentos acerca da doutrina com certa tranquilidade.

Atualmente, o ocultismo acontece em vários locais, podendo eles ser abertos ao público ou até mesmo secretos, como era a maioria antigamente. Antes de adentrar à seita, é necessário participar de um ritual de início, para ser aceito e iniciar os estudos acerca do ocultismo. 

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Curiosidades

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.